Arruda vai recorrer de decisão do TJ e diz que o julgamento não o tira das eleições

Ex-governador disse que há disposição para ganhar no primeiro turno

Para Arruda, a condenação é “injusta”, já que, segundo ele, foi vítima de um golpe arquitetado pelo PT para ganhar em 2010Celso Junior /30.11.2009/ Estadão Conteúdo
O candidato do PR ao Governo do Distrito Federal, José Roberto Arruda, disse em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (10) que vai recorrer da decisão do TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal) que manteve acondenação do ex-governador por improbidade administrativa por envolvimento no esquema de corrupção conhecido como Mensalão do DEM.
Segundo Arruda, a condenação é “injusta”. Ele defende que foi vítima de um golpe arquitetado pelo PT para levar as eleições de 2010.   
— Claro que vamos recorrer, consideramos injusta, o que se julgou ontem foi um episódio ocorrido antes de ser governador. É como culpar Lula por coisa que aconteceu em governo FHC e culpar FHC por coisas do governo Lula.
Arruda citou o site www.golpede2009.com.br, criado por ele para se defender das acusações feitas no ano em que ele foi preso e destituído do cargo. O candidato afirma que o objetivo dos adversários era criar um novo escândalo para abafar o esquema do mensalão do PT.
Leia mais notícias no R7 DF
A decisão de primeira instância também foi contestada pela defesa de Arruda, que alega suspeição [suspeita] do juiz que o condenou.
Arruda também descartou que a condenação vá derrubar a sua candidatura, já que mesmo a condenação por órgão colegiado, que o poderia tirar das eleições com base na Lei da Ficha Limpa, veio após o registro da candidatura dele.
— Eu sou candidato ao governo do DF dentro do que estabelece a legislação brasileira, absolutamente dentro do que estabelece a lei. O registro da minha candidatura, dia 5 de julho data de corte e tomada como base em toda a jurisprudência foi respeitada. Portanto sou candidato, com candidatura registrada.
Arruda é favorecido por entendimento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que em julgamentos anteriores decidiu que a inelegibilidade imposta pela Lei da Ficha Limpa só valeria se ocorresse antes prazo do registro de candidaturas.
Após a coletiva de imprensa, Arruda convocou militantes que espalhem pelas ruas tudo o que ele disse. A convocação foi apoiada sob gritos de “o campeão voltou”. 
“No tapetão”
Arruda utilizou boa parte da coletiva de imprensa para atacar o atual governador pelo PT e candidato à reeleição. Para o ex-governador, Agnelo Queiroz tem utilizado a “política do medo”.
— Ele tem feito a política do medo, tem dito “o PT está trabalhando”, “eu tenho influências”, “Arruda não vai ser candidato”. Não tenho medo de suas bravatas, que essa tática de lançar dúvidas sobre a minha candidatura é para lançar sombras sobre o debate que tem sido o apagão da sua gestão.
Arruda relembrou obras que fez durante o seu governo como postos de polícia e escolas integrais e disse que Agnelo quer ganhar no “tapetão”.
— O que causa estranheza é a correria para julgar nosso processo, passando por cima de outros 84 processos.
O candidato do PR afirmou que quer ganhar as eleições em primeiro turno.
— Obstáculos não tiram disposição, mas aumenta possibilidade de ganhar eleições em primeiro turno, eu sinto isso nas ruas. [...] Tenho muita fé em Deus, estou tendo uma chance depois de uma tragédia que se abateu sobre a mim e a minha família. 
COMPARTILHAR:

+1

0 Response to "Arruda vai recorrer de decisão do TJ e diz que o julgamento não o tira das eleições"

Postar um comentário